Acorda! Maria Bonita

Posted on novembro 7, 2011

0



 Por Letícia Joana e Dayane Gomes

“Acorda Maria Bonita/ Levanta vai fazer o café/ Que o dia já vem raiando/ E a polícia já está de pé”  

Antônio Alves de Sousa, Sergipano mais conhecido como Volta Seca foi um dos homens mais jovens a entrar no cangaço ao lado de Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião.

Volta Seca gravou em 1957 seu primeiro LP, “Cantigas de Lampião” com oito músicas que contavam as aventuras, costumes e hábitos dos cangaceiros daquela época. “Acorda Maria Bonita”, que também faz parte do LP, é uma de suas canções mais conhecidas que fala de Maria Bonita, a primeira mulher a entrar no cangaço.

Batizada como Maria Gomes de Oliveira, ela foi criada na fazenda da família em Jeremoabo na Bahia com seus 11 irmãos, casou-se aos 15 anos com José de Neném, comerciante e sapateiro, mas assim que conheceu Lampião em 1931, preferiu seguir sua vida ao lado dele. Ela com um pouco mais de 20 anos e Lampião com 33. Com estatura baixa, cabelos e olhos escuros, fruto de sua pele morena, Maria Bonita tinha o respeito em todo o cangaço, era chamada de “Dona Maria” pelos cangaceiros, quando lhe dirigiam a palavra, ou “a mulher do Capitão”, quando se referiam a ela. Mais tarde, resultado desta relação, Lampião e Maria, tiveram uma filha chamada Maria Expedita, em 1932, que foi entregue a família, pois não era permitido crianças no bando.

Maria permaneceu no cangaço durante sete anos. No tiroteio em Angicos, em Sergipe, tombou ao lado de Lampião. Foi à primeira mulher no bando, mas, depois que ela se uniu a Lampião, outros cangaceiros também arrumaram companheiras. Elas participavam de todas as atividades, inclusive dos combates.

Com isso, pode- se dizer que Maria Bonita foi à grande percussora na entrada de mulheres no cangaço, a mesma detinha do mesmo respeito e destaque de Lampião, mencionados na história do cangaço.

Assista abaixo o vídeo da música dedicada a Maria Bonita, companheira de Lampião.

Anúncios